Pessoa Revisitado

Junho 16, 2008 at 6:51 pm 8 comentários

Li este poema. Vontade incontornável de o partilhar.Lembrei-me do Poemas do Mundo. E ressuscitei-o.

Sim, sei bem
Que nunca serei alguém.
Sei de sobra
Que nunca terei uma obra.
Sei, enfim,
Que nunca saberei de mim.
Sim, mas agora,
Enquanto dura esta hora,
Este luar, estes ramos,
Esta paz em que estamos,
Deixem-me crer
O que nunca poderei ser.

A ver se isto renasce ou volta ás cinzas…

Entry filed under: Poemas do Mundo. Tags: .

Que nos revezemos… Prólogo

8 comentários Add your own

  • 1. FB  |  Julho 20, 2008 às 10:40 pm

    Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

    Responder
  • 2. kananda  |  Maio 15, 2009 às 1:09 am

    Nossa legal seu poema…tem muitas rimas !!!em fim…
    daora vil!!!
    Queria saber seu nome por que eu vo colocar esse nome do autor pra mim ler na escola no minha meta de leitura!!!(O Poema)
    ahh..entao xau autor desconhesido***

    Responder
    • 3. Luciane Deschamps  |  Dezembro 16, 2011 às 11:00 pm

      Esse poema de fernando Pessoa realmente é lindo! Parabéns pela escolha!

      Responder
  • 4. samu  |  Maio 18, 2009 às 5:19 pm

    JOGAR MU E ARTE
    UPAR FAZ PARTE
    VIRA PK E MODA
    SE HAKIADO Q E <>

    Responder
  • 5. samu  |  Maio 18, 2009 às 5:21 pm

    existe mulheres que se ganha na beleza…

    existe mulheres que se ganha no beijo…

    existe mulheres que se ganha no papo…

    mas para os outros tipos de mulheres existe MASTER CARD

    Responder
  • 6. maria  |  Junho 15, 2010 às 8:36 pm

    yá,,,,y samun estou esplenamen te de acordo contigo.
    bjs a todo o mundo.

    Responder
  • 8. Átila  |  Janeiro 3, 2015 às 2:28 am

    Este acervo é maravilhoso!

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed



Folhetim Cultural e artístico de Lisboa, Divulgação Cultural
Facebook

Poemas do mundo

Poemas do meu Mundo que ardem vivos em meu olhar que no coração escavam bem fundo e que não o deixam pulsar...

  • 890,912 visitas

%d bloggers like this: