Archive for Outubro, 2008

Prólogo

Perguntei ” o quê?”.
Ninguém respondeu.
Mas continuava a ouvir chorar. E repeti a minha pergunta.
“Nada, não é nada”.
Se não era nada, só podia ser tudo.
Porque não me lembro do dia em que nada fazia chorar.

Aos que gritam no silêncio.

Outubro 21, 2008 at 10:49 pm 13 comentários



Folhetim Cultural e artístico de Lisboa, Divulgação Cultural
Facebook

Poemas do mundo

Poemas do meu Mundo que ardem vivos em meu olhar que no coração escavam bem fundo e que não o deixam pulsar...

  • 983,754 visitas