1º Concurso de Poesia Poemas do Mundo

Novembro 1, 2006 at 1:25 pm 16 comentários

Os mais atentos talvez já tenham reparado no link para a página Concurso no topo do blog. Pois é, decidimos organizar um concurso de poesia, para dar a conhecer os talentos escondidos que por aí andam.

Na página concurso está o regulamento, mas vou explicar aqui como é que isto funciona mais ou menos:

Até 15 de Dezembro podem enviar os vossos poemas originais para o nosso mail, poemasdomundo@gmail.com, juntamente com o vosso nome e endereço de e-mail. Acabado o prazo limite, todos os poemas submetidos serão colocados na página Concurso, para que os leitores possam votar no seu poema favorito, através de uma pequena widget. Poderão votar as vezes que quiserem, nos poemas que quiserem. Os cinco poemas mais votados serão os “finalistas” e irão aparecer na página principal do blog. Desses 5 poemas, a equipa do blog irá escolher o vencedor do concurso, que receberá como prémio um livro, claro está, de poesia! Uma nota: cada pessoa pode enviar os poemas que lhe apetecer, não há a restrição de 1 poemas por pessoa.

Portanto já sabem, querem divulgar o vosso trabalho e tentar ganhar fama e um prémio? Participem no 1º Concurso de Poesia Poemas do Mundo!

Cada pessoa pode enviar os poemas que lhe apetecer, não há a restrição de 1 poemas por pessoa.

PS: Quem quiser por nos seus blogs ou sites um link para o blog ou para a página do concurso esteja à vontáde. Retribuiremos o link com prazer!

Podem usar esta imagem:

Entry filed under: concurso de poesia, Poemas do Mundo. Tags: .

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades Lágrima de Preta

16 comentários Add your own

  • 1. M@riju  |  Novembro 2, 2006 às 10:09 pm

    Grande ideia esta do concurso!!!
    Eu sei que me convidaram para participar no blog com muita generosidade e eu aceitei. Não sabia era que não ía ligar nenhuma ao blog e deixar-vos entregues aos vossos mundos e à publicação livre de poemas. Quero dar-vos os parabéns pelo magnifico sucesso do blog e pedir-vos mil (e uma) desculpas por vos ter deixado. Que posso dizer? é vida!!
    Pode ser que a partir de agora eu seja uma colaboradora assídua do blog.
    Muitas, muitas beijocas
    Maria João

    Responder
  • 2. Ilona Bastos  |  Novembro 26, 2006 às 7:06 pm

    Venho felicitá-los pelo excelente blog e também pelo lançamento deste concurso que, certamente, terá muitos concorrentes (não somos nós, portugueses, todos poetas?). Mas fiquei com uma dúvida: os poemas a concurso têm de ser inéditos? E, sendo o caso, conta como publicação a que é feita em sites da internet?
    Um abraço, Ilona Bastos

    Responder
  • 3. Adriana Maria Gomes  |  Setembro 29, 2007 às 4:13 am

    Sinto que esta iniciativa vai refletir luz no caminho de todos os poetas que desafiam provocar os sentimentos. Boa sorte a todos

    Responder
  • 4. flavia freitas  |  Dezembro 13, 2007 às 9:06 pm

    ‘poesia’
    DEUS!

    – Eu o descreveria assim…
    Como o poeta dos anjos
    O profeta dos vivos

    – Eu o descreveria assim…
    Como luz divina da escuridão,
    Como pai, amigo e irmão,
    Como relva, selva e pão.

    – Eu o descreveria assim…
    Como esperança, bondade e perdão,
    Como jasmim, orvalho e amor,
    Como abelha, mel, favo e flor.

    – Eu o descreveria assim…
    Como existência, espírito, alma e ausência,
    Como saudade, vida, morte e eternidade…!
    Flavia freitas

    COMEMORE…!

    O amanhecer,
    Com os raios de sol,
    Ou com os pingos de chuva.
    Comemore…!
    O choro de uma criança,
    Dizendo ao mundo que nasceu.
    Comemore…!
    Um simples certificado.
    Comemore…!
    Um troféu conquistado.
    Comemore…!
    O primeiro passo de um filho.
    Comemore…!
    O primeiro carro comprado,
    Ou até mesmo a passagem de ônibus,
    Ou simplesmente seu próprio caminhar.
    Comemore…!
    Um sorriso, uma lágrima ou, Comemore…!
    Um simples olhar.
    Porque a vida é feita,
    Para comemorar!
    Flavia Freitas

    CLIQUE

    Clique a tecla do seu coração
    E programe para este ano paz,
    Amor, confiança e dedicação.
    Dele te o ódio e a ganância
    Pause a intolerância
    Arquive a união, a amizade, o sorriso,
    O aperto de mão.
    Descubra a senha do amor
    Procure o antivírus da doença, da divida,
    da ansiedade, da raiva e da maldade.
    Entre no Windows do seu consciente
    E descubra que as lágrimas fazem
    parte da vida
    Mexa no mouse de seus lábios
    E descubra que o sorriso faz parte
    do dia a dia
    Viva todas as emoções deste ano
    E deixe a pane da felicidade tomar
    Conta do seu coração!

    Flávia Freitas

    LIBERDADE!

    Liberdade de abrir a janela e ver o sol nascer.
    Liberdade de ver um filho crescer.
    Liberdade de se libertar,
    de um relacionamento sufocante.
    Liberdade de amar!
    Nem que seja um amor amante.
    Liberdade de cruzar as fronteiras.
    Liberdade de aplaudir.
    Liberdade de sorrir.
    Liberdade para comemorar a vitória!
    Liberdade de viver todas as emoções
    que á vida oferece,
    com á eterna sensação de: liberdade!

    Flavia freitas

    Responder
  • 5. edson sousa dos santon junior  |  Fevereiro 14, 2008 às 1:42 am

    Os ventos que às
    Vezes tiram algo que amamos…

    São os mesmo q nos trazem
    Algo q nos aprendemos a amar…

    Por isso ñ devemos chorar
    Pelo que nos foi tirado…

    E sim aprender a amar
    O que nos foi dado…

    Pois tudo aquilo que é realmente nosso…
    Nunca se vai para sempre!

    Responder
  • 6. iago  |  Fevereiro 14, 2008 às 4:16 pm

    Poemas que falam sobre a dengue.

    Responder
  • 7. Bruno muiguel gonçalves mota lopes  |  Setembro 3, 2008 às 10:35 pm

    O porque de eu te amar

    Um dia acordei percebi
    Que de quem eu gostava era de ti

    Na tua ausência
    entro em decadência
    só me sinto bem na tua presença

    A razão de eu te amar
    Eu não consigo explicar
    É algo que só da para sentir
    É impossível conseguir-me exprimir

    Por mais que tente não te
    consigo esquecer
    Tu és algo que na minha vida
    está sempre a aparecer

    É este o porque de eu te amar
    e acho que tudo isto serve para explicar
    que sempre te irei amar…

    Responder
  • 8. Bruno muiguel gonçalves mota lopes  |  Setembro 3, 2008 às 10:37 pm

    O amor

    O amor sente-se
    E não se explica

    O amor vem e vai
    Sem se importar se quer
    com o que cai ó faz cair

    Dizem que o amor é cego
    Mas é forte como o ferro
    Sim forte como esse ferro
    que se desfaz a altas temperaturas
    e depois forma novas texturas

    Quem pode descrever o amor?
    Sem sequer conhecer todo o seu esplendor?!

    Então?
    Será alguém capas de me explicar
    o que com o amor se pode conquistar

    Responder
  • 9. Bruno muiguel gonçalves mota lopes  |  Setembro 3, 2008 às 10:49 pm

    para uns a poesia é mais uma forma de passar o tempo para mim é uma forma de «falar» e exprimir tudo o que sinto e tudo o que tenho a dizere por ixo xo tenho a agradexer a quem inventou exta tao grande reliquia que é para mim a poesia

    Responder
  • 10. Paula Dias Borelli  |  Setembro 3, 2008 às 11:23 pm

    Não foi de meu sonho que surgiste
    Tampouco de minha mente e imaginação
    Foi outra ilusão que o criaste,
    Assim, encantado como és.

    Mas agradeço, seja lá a quem for,
    Por enviar-te a minha vida,
    Por enxertar-me a alegria,
    Por delinear-me sorrisos,
    E por completar-me a alma.

    Por dar-te a mim,
    Amor da minha vida.
    E fazer com que não haja
    Aurora no mundo,
    Que faça raiar o sol
    Antes que eu tenha o seu abraço.

    Paula Dias Borelli.
    – Para um grande amor.

    Responder
  • 11. FRANCISCO CANINDÉ CARDOSO  |  Novembro 12, 2008 às 5:11 pm

    VIDA E HOMEM…
    QUEM SOU EUPARA FALAR DE VIDA,
    SE TENHO DESTUIDO TUDO
    SE NADA FIZ,
    SA MATAS EU DESTRUI
    OS RIOS EU POLUI
    TUDO ISSO EU FIZ SEM RAZÃO
    NAO PEDI NEM LICÊÇA AO DONO,
    FIZ POR INTERESSE A NADA MAIS
    OLHA ME DESCULPE O HOMEM MAS,
    PENSE ANTES DE FAZER TUDO ISSO,
    SE NAO,
    NAO TEREMOS COMO VIVER NESTE MUNDO
    NEM A VIDA
    NEM O HOMEM….

    Responder
  • 12. FRANCISCO CANINDÉ CARDOSO  |  Novembro 12, 2008 às 5:15 pm

    A INJUSTIÇA

    NO DIA QUE MORRE UM RICO
    É GRANDE A EXCLAMAÇÃO
    CORRE A NOTIÇIA NA RUA,
    POR VILA E POVOAÇÃO
    NO DIA QUE MORRE UM POBRE,
    NINGUÉM DÁ NOTÍCIA NÃO.

    SÃO PAULO DO POTENGI-RN

    Responder
  • 13. Teresa Duarte Reis  |  Agosto 31, 2010 às 10:50 pm

    Amo a poesia, as crianças e a música – sem querer imitar o grande poeta.
    Tenho momentos em que a poesia flui da minha alma como desabafo em momentos do tempo
    quando o tempo me dá tempo para sonhar
    e o sonho me serve de refúgio para amar…

    digam-me:
    concurso todos os anos? Este também? Ou foi até 2008 e parou?

    abraços poéticos
    Teresa Duarte Reis

    Responder
  • 14. FRANCISCO CANINDE CARDOSO  |  Agosto 10, 2011 às 2:09 pm

    A VIDA…

    DEVE SER VIVIDA TODOS OS DIAS
    SEM PERDE NENHUM MOMENTO,
    SEM JAMAIS CANSAR DE VIVER
    INTENSAMENTE.
    A VIDA É SEMPRE A VIDA….

    Responder
  • 15. Anna Leticia  |  Maio 9, 2012 às 9:45 pm

    Gostei muitos desses poemas pois são mts bonitos neles ext muta criatividade.

    Responder
  • 16. Zeli de Souza Marques  |  Outubro 30, 2014 às 8:30 pm

    Visitem essa pag. é bem interessante

    https://www.facebook.com/pages/E-Porque-N%C3%A3o-Um-Poema-Ou-Um-Pensamento/504970796226346?fref=ts

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed



Folhetim Cultural e artístico de Lisboa, Divulgação Cultural
Facebook

Poemas do mundo

Poemas do meu Mundo que ardem vivos em meu olhar que no coração escavam bem fundo e que não o deixam pulsar...

  • 890,912 visitas

%d bloggers like this: