O Objecto

Setembro 2, 2006 at 11:28 pm 4 comentários

Há que dizer-se das coisas
o somenos que elas são.
Se for um copo é um copo
se for um cão é um cão.
Mas quando o copo se parte
e quando o cão faz ão ão?
Então o copo é um caco
e um cão não passa dum cão.

Quatro cacos são um copo
quatro latidos um cão.
Mas se forem de vidraça
e logo foram janela?
Mas se forem de pirraça
e logo forem cadela?
E se o copo for rachado?
E se o cão não tiver dono?
Não é um copo é um gato
não é um cão é um chato
que nos interrompe o sono.

E se o chato não for chato
e apenas cão sem coleira?
E se o copo for de sopa?
Não é um copo é um prato
não é um cão é literato
que anda sem eira nem beira
e não ganha para a roupa.

E se o prato for de merda
e o literato de esquerda?
Parte-se o prato que é caco
mata-se o vate que é cão
e escreveremos então
parte prato sape gato
vai-te vate foge cão

Assim se chamam as coisas
pelos nomes que elas são.

Ary dos Santos

Entry filed under: Ary dos Santos, Poemas do Mundo. Tags: .

Recado a um militante A Sílaba

4 comentários Add your own

  • 1. Ruy de Noronha Ozorio  |  Outubro 22, 2006 às 2:12 pm

    um poema genial do mais genial dos poetas…

    Responder
  • 2. Pedro Rui  |  Fevereiro 13, 2008 às 6:38 pm

    Mais um magnífico poema do prematuramente desaparecido Ary

    Responder
  • 3. Nelson Camacho D'Magoito  |  Junho 17, 2008 às 6:54 pm

    Parabens ao autor deste blogue por lembrar os poetas portugueses, principalmente José Carlos Ary dos Santos que en vida fêz o favor de ser meu amigo. Zé Carlos foi um Poeta do Povo e digno de ser lembrado. Não tenho um blogue dedicado aos poetas de volta e meia, lembro nos meus escrito o Zé Carlos. Mais uma vez obrigado pelo seu trabalho. Nelson Camacho

    Responder
  • 4. Duarte Calixto  |  Fevereiro 26, 2010 às 2:51 pm

    Este poema está muito bem escrito , pois tem na sua grande parte descrito a realidade ….. Boa continuação neste estilo de poemas….

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed



Folhetim Cultural e artístico de Lisboa, Divulgação Cultural
Facebook

Poemas do mundo

Poemas do meu Mundo que ardem vivos em meu olhar que no coração escavam bem fundo e que não o deixam pulsar...

  • 890,912 visitas

%d bloggers like this: