Mentira

Junho 3, 2006 at 8:31 am Deixe um comentário

Brilhante , luminescente
Essa cara que me ilumina
Entre ti e toda a gente
Um sorriso de menina

Mas, se ris para toda a gente
Porque não ris para mim?
Aqui estou
Nesta ânsia crescente
Aqui estou
Á espera de ti

Bem sabes como usar-me
Dizer-me o que fazer
Será que sabes amar-me?
Devias tentar aprender

Ouve-me, não me ignores
Vê-me, não vires as costas
Sente-me , não fujas de mim
Pergunto-me: será mesmo de mim
Que tu gostas?

Não sou cavaleiro andante
Tão pouco bravo guerreiro
Não sou D. Juan , o Amante
Mas eu não sou traiçoeiro

Sou eu a pessoa que vês
Por quem passa todos os dias
Sim, sou eu quem olhas agora
Mas que não olhas como devias

Rafael Neves, co-criador deste blog

Entry filed under: Poemas do Mundo. Tags: .

O Jardim e a Noite Soneto do Amor Demais

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed



Folhetim Cultural e artístico de Lisboa, Divulgação Cultural
Facebook

Poemas do mundo

Poemas do meu Mundo que ardem vivos em meu olhar que no coração escavam bem fundo e que não o deixam pulsar...

  • 890,912 visitas

%d bloggers like this: