O tempo acaba o ano, o mês e a hora

Abril 28, 2007 at 1:28 pm 4 comentários

O tempo acaba o ano, o mês e a hora

O tempo acaba o ano, o mês e a hora,
A força, a arte, a manha, a fortaleza;
O tempo acaba a fama e a riqueza,
O tempo o mesmo tempo de si chora;

O tempo busca e acaba o onde mora
Qualquer ingratidão, qualquer dureza;
Mas não pode acabar minha tristeza,
Enquanto não quiserdes vós, Senhora.

O tempo o claro dia torna escuro
E o mais ledo prazer em choro triste;
O tempo, a tempestade em grão bonança.

Mas de abrandar o tempo estou seguro
O peito de diamante, onde consiste
A pena e o prazer desta esperança.

Luís de Camões

Entry filed under: Luís de Camões. Tags: .

Solidão Corrosiva Isto

4 comentários Add your own

  • 1. Um poema do mundo… « Fada Verde  |  Fevereiro 29, 2008 às 12:33 pm

    […] Um poema do mundo… O tempo acaba o ano, o mês e a hora […]

    Responder
  • 2. Cléo Andrade  |  Setembro 2, 2008 às 1:26 pm

    Parabêns! Seu blog é bom como os famosos livros de poemas. O mundo precisa das “liçoes” de Camões.

    um abraço e muito prazer!

    Responder
  • 3. maria  |  Junho 15, 2010 às 8:34 pm

    parabens pelo seu trabalho .
    estou de acordo com a minha colega cléo andrade.bjs a todo o mundo……….

    Responder
  • 4. Fátima  |  Dezembro 30, 2010 às 10:55 pm

    Estou aqui lendo e copiando os poemas, posso?
    Muito bom seu blog.
    Feliz 2011.
    Com carinho
    Fátima

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed



Folhetim Cultural e artístico de Lisboa, Divulgação Cultural
Facebook

Poemas do mundo

Poemas do meu Mundo que ardem vivos em meu olhar que no coração escavam bem fundo e que não o deixam pulsar...

  • 890,912 visitas

%d bloggers like this: