Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

Outubro 29, 2006 at 12:28 pm 13 comentários

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança;
todo o Mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança;
do mal ficam as mágoas na lembrança,
e do bem (se algum houve), as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
que já coberto foi de neve fria,
e, enfim, converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
outra mudança faz de mor espanto,
que não se muda já como soía.

Luís de Camões

About these ads

Entry filed under: Luís de Camões. Tags: .

Quando eu nasci 1º Concurso de Poesia Poemas do Mundo

13 Comentários Add your own

  • 1. Matheus  |  Março 26, 2007 às 5:34 pm

    Só estou mandando porque achei bonito.

    Bjos

    Responder
  • 2. Lucilene  |  Abril 13, 2007 às 1:33 pm

    Achei lindo! curta… beijos

    Responder
  • 3. eu  |  Novembro 21, 2009 às 6:00 pm

    Acho este poema lindo, é pena é que tenha de estar fazendo uma analise dele………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

    Responder
  • 4. noob  |  Janeiro 11, 2010 às 12:34 pm

    da ai as respostas do exercicio….. :D:D:D:D:D:D:D:D:D:D:D:D::D

    Responder
  • 5. umapessoarevolts  |  Agosto 8, 2011 às 8:27 pm

    são tudo um MERDA esses poemas que voce tem que usar no colégio e ainda mais fazer prova sobre eles ¬¬

    Responder
  • 6. Cristiano  |  Agosto 22, 2011 às 3:50 am

    Achei o poema lindo mas alguem sabe me dizer oque é sóia?

    Responder
    • 7. Carlos Patrício  |  Outubro 26, 2011 às 3:47 am

      Não é sóia, é soía!
      Soía significa, «como era habitual» ou «como era costume» ou ainda, «como era tido por costume».
      Pretérito imperfeito do verbo soer – ter por costume

      Responder
  • 8. pelo  |  Janeiro 29, 2012 às 3:13 pm

    alguem me explica o significado desse poema?

    Responder
  • 9. Miguel Quaresma  |  Março 13, 2012 às 10:20 am

    É espantoso o conteúdo intemporal deste magnifico poema. E porque não adjectivá-lo de um pensamento progressista e universalista, incontido num tempo histórico protagonizado por medíocres castradores de uma perspectiva humanista do mundo. Por isso, a obra de Camões continua a ser sistematicamente relegada para as prateleiras poeirentas, onde repousam os grandes legados memoriais que estruturam a essência da nossa identidade colectiva. É caso para afirmar: Até quando prevalecerão as políticas culturais alienantes e retrógradas, que condenam a lusitanidade ao reduto de uma castidade obscurantista de valores..

    Responder
  • 10. Teresa Nazaré  |  Junho 17, 2012 às 4:14 pm

    Muito bonito muito bonito…
    Um verdadeiro apreciador de poesia nao se refere ao objecto de estudo como “muito bonito”…para além de que isto nao é só um poema mas uma liçao que se mantem muito actual.E analisar é a parte mais interessante do processo.pena que ainda exista quem ache “uma merda”…Uma merda és tu meu inculto de merda :)
    Obrigada

    Responder
  • 11. jessicasampio  |  Outubro 25, 2012 às 7:18 pm

    Gostei bastante!

    Responder
  • 12. Francisca Gabriella Neres Neta  |  Outubro 29, 2012 às 3:44 pm

    Lindo e lindo amo poema, os de Camões só me encanta e me leva cada vez mais ler………. Só perde quem não tem o gostinho de saborea-lo pois é muito gratificante.

    Responder
  • 13. Simão  |  Setembro 13, 2013 às 3:58 am

    Ha gente q so aparece e vive numa epoca mas com ideais de todos os tempos. A essas pessoas chamam se imortais. So falaram uma vez para todas geracoes. Bem haja a alma do L. Camoes.

    Responder

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed



Folhetim Cultural e artístico de Lisboa, Divulgação Cultural
Facebook

Poemas do mundo

Poemas do meu Mundo que ardem vivos em meu olhar que no coração escavam bem fundo e que não o deixam pulsar...

  • 532,659 visitas

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 71 outros seguidores

%d bloggers like this: